Dissertações

Format: 2018

“Nem preto, nem branco, mas puro matiz”: um ensaio sobre a produção crítica do “uspianista” José Miguel Wisnik

Nome do autor: 
Jamille Maria Nascimento de Assis
Nome do orientador: 
Rachel Esteves Lima
Banca: 
Rachel Esteves Lima Roniere Silva Menezes Milena Britto de Queiroz
Resumo: 

O trabalho tem como objetivo produzir um perfil intelectual do crítico José Miguel Wisnik, a partir da análise da sua produção ensaística e musical, do espaço que o formou e o acolheu como professor (a Universidade de São Paulo) e de depoimentos, entrevistas e alguns biografemas. Wisnik se destaca no meio crítico por assumir uma forma de leitura articulada com a especificidade da linguagem musical, sem deixar de levar em consideração os conhecimentos de outras áreas, como a psicanálise, a sociologia, a antropologia, a história, etc., sempre com o intuito de valorizar a criatividade das manifestações culturais brasileiras em seus trabalhos. Uma leitura alinhada a distintas matrizes analíticas não deixaria de gerar suas ambiguidades, até porque quem a produz é um uspiano que, à diferença de seus pares, tentou aplicar um approach teórico formal e sociológico à análise de objetos que não são usualmente analisados na USP, como a música e o futebol. Essa dupla valência leva-o, portanto, a estar alinhado com os Estudos Culturais no Brasil, mas de modo bastante singular. Estudar como essa singularidade se forjou constitui, pois, a principal meta deste trabalho.

Abstract: 

 
The work aims to produce an intellectual profile of the critic José Miguel Wisnik, from the analysis of their production and musical essays, the space of formation and of action as professor (University of São Paulo) and testimonials, interviews and some biografemas. Wisnik stands in the middle of taking a critical way of reading combined with the specificity of musical language, while taking into account the knowledge of other areas, such as psychoanalysis, sociology, anthropology, history, etc.., always with in order to enhance the creativity of Brazilian cultural manifestations in their work. A reading aligned to different analytical matrices would still generate its ambiguities, because who produce is a uspiano, unlike his peers, he tried to apply a theoretical approach to the formal and sociological analysis of objects that are not usually analyzed in the USP, like music and football. This double valence takes him, therefore, be aligned with the Cultural Studies in Brazil, but quite unique. Studying how this singularity is forged is therefore the main goal of this work.

Data: 
sexta-feira, 13 Abril, 2012 - 14:00

Entrevista com o vampiro: do romance gótico ao filme de terror

Nome do autor: 
Vanessa da Conceicao Davino de Assis
Nome do orientador: 
Elizabeth Santos Ramos
Banca: 
Elizabeth Santos Ramos Ana Maria Bicalho Marlene Holzhausen
Resumo: 

Esta dissertação investiga as estratégias tradutórias presentes na releitura da obra Entrevista com o Vampiro (1976) da escritora norte-americana Anne Rice, para o roteiro cinematográfico homônimo (1994) do diretor irlandês Neil Jordan. Partindo da hipótese de que a linguagem cinematográfica não replica a linguagem literária, mesmo porque são artes diferentes, invalidando, assim, qualquer comparação entre as duas sob a perspectiva da hierarquização, discutiremos os códigos fílmicos que transformaram o conteúdo verbal do romance gótico num filme de terror. Baseadas em teóricos dos Estudos da Tradução como Roman Jakobson (1959) que adotou o termo tradução intersemiótica ou transmutação para a interpretação dos signos verbais por meio de sistemas de signos não-verbais, Gideon Toury (1995) que concentra sua pesquisa na obra traduzida para observar o processo que determina sua concretização e Rosemary Arrojo (2003) que desconstrói a idéia de estabilidade e autenticidade na tradução, examinamos a impossibilidade da fidelidade no deslocamento do livro para tela, à medida que identificamos a mescla de narrativas anteriores diluída em intertextos que se entrelaçam com a criatividade  dos artistas envolvidos na adaptação. Ao apontar as narrativas que ecoam, influenciam e alimentam a obra de Jordan, atestamos que tais histórias partem de fontes múltiplas, heterogêneas, sem uma origem única, fato que comprova que até mesmo a obra de partida consiste numa colcha de retalhos. Teóricos como Gerárd Genette (2006) que trata da intertextualidade como a presença de um texto em outro, Tiphaine Samoyault (2008), que trata dos diálogos e mosaicos de citações que constroem textos nos rastros de outros textos e Robert Stam (1979) que estende a abordagem de Genette para o universo fílmico ao considerar a adaptação uma ramificação intertextual que não alude apenas ao romance no qual foi inspirado, mas possivelmente a outros que vieram antes dele, nos proporciona ferramentas valiosas para a efetuação da nossa análise. A ação de interpretar ou reescrever a história gótica nos leva a aludir o ato do tradutor/cineasta com o do vampiro, já que o tradutor “sangra” sobre sua obra ao mesmo tempo em que “bebe” de diferentes veias a fim de dar vida ao seu produto audiovisual e o vampiro além de drenar sua vítima, também a alimenta com seu sangue sobrenatural, tornando-a imortal. Para desenvolvermos a metáfora tradução/vampirização, o filósofo Jacques Derrida (2006) e a autora Cristina Rodrigues (2000) nos oferecem reflexões que elucidam a idéia da alternância de empréstimos ou sucessivas suplementações realizadas no universo vampiresco, contribuições que prolongam a eternidade das criaturas da noite a cada geração. Ao tempo em que descrevemos a trajetória da entidade vampiresca desde suas raízes folclóricas à sua ascensão a ícone pop, ressaltamos as revisitações ou atualizações que o bebedor de sangue sofreu, através dos meios de comunicação. Apoiadas em autores como J. Gordon Melton (2011) e Rosemary Guiley (2005), verificamos que a ficção vampiresca seja ela fílmica ou literária, está longe de obter seu descanso definitivo, ou ser indiferente a presença dos vestígios de sangue derramado por predecessores que marcaram o palimpsesto vampírico ao longo dos séculos.

Abstract: 

 
This dissertation investigates the translation strategies present in the rereading of American writer Anne Rice’s Interview with the Vampire (1976) for the homonymous screenplay (1994) by Irish director Neil Jordan. Assuming that film language does not replicate the literary language does, since they are different kinds of art, and any comparison between the two from the perspective of hierarchy should be invalidated, we discuss the filmic codes which transformed the verbal content of the Gothic novel in a horror film. Based on the theories of Translation Studies scholars, such as Roman Jakobson (1959) who adopted the term intersemiotic translation or transmutation for the interpretation of verbal signs by means of non-verbal signs systems, Gideon Toury (1995) who focuses his research on the translated work in order to observe the process that leads to the final translated product and Rosemary Arrojo (2003) who deconstructs the idea of stability and authenticity in translation, we examine the impossibility of fidelity in the dislocation of the book to the screen, as we identify a mixture of previous narratives diluted in intertexts which entwine with the creativity of the artists involved in the adaptation. By pointing out stories that resonate, influence and nurture Jordan‘s work, we testify that these multiple source stories are heterogeneous and without a single origin, fact that proves that even the source text is made of a patchwork quilt. Theorists such as Gerárd Genette (2006) who regards intertextuality as the presence of a text in another, Tiphaine Samoyault (2008), who discuss the mosaics of quotations and dialogues that build texts after the track of prior texts and Robert Stam (1979) who extends Genette’s approach to the film universe as he considers adaptation a sort of intertextual branch that besides alluding to the novel on which it was inspired, it also possibly feeds on other texts which came before it, provides us valuable tools for the rendering of our analysis. The action of interpreting or rewriting the Gothic story leads us to relate the act of the translator/filmmaker with the act of the vampire, since the translator “bleeds” on his work as well as “drinks” from different veins in order to give life to his audiovisual product, and the vampire drains and feeds his victim with his supernatural blood to make his prey immortal. To develop the metaphor translation/vampirization, the philosopher Jacques Derrida (2006) and author Cristina Rodrigues (2000) provide us reflections which elucidate the idea of alternating loans or successive supplementations made in the vampire universe, contributions that extend the eternity of the children of the night each generation. While we describe the journey of the vampire entity from its folklore roots to his ascension to pop icon, we stress the revisitations or updates the blood drinker suffered through the media. Supported by authors such as J. Gordon Melton (2011) and Rosemary Guiley (2005) we make sure that the vampire fiction, be it literary or filmic, is far from achieving its eternal rest or being indifferent to the presence of predecessors’ blood trails, which has marked the vampiric palimpsest over the centuries.

Data: 
sexta-feira, 13 Abril, 2012 - 14:00

O processo de criação da tradução da Opera Wonyosi

Nome do autor: 
Sandra Cristina Souza Correa
Nome do orientador: 
Sílvia Maria Guerra Anastácio
Banca: 
Sílvia Maria Guerra Anastácio (UFBA) Cleise Furtado Mendes (PPGAC/UFBA) Rosa Borges dos Santos (UFBA)
Resumo: 

Opera Wonyosi (1977) de Wole Soyinka (1934- ), texto dramático (1981) escrito em inglês e traduzido(2009-2010) para o português pelo grupo de pesquisa PROSOM do Departamento de Letras Germânicas da Universidade Federal da Bahia, coordenado pela professora Sílvia Maria Guerra Anastácio. O texto traduzido é base para o roteiro da Leitura Dramática Opera da Malandragem apresentada no Teatro Martim Gonçalves (out.2010) e o para o audiolivro Opera dos Espertos (2011). As versões da tradução foram realizadas no formato digital e resgatas das caixas de email das tradutoras para realização deste estudo. O resgate online dos documentos digitais possibilitou o acompanhamento do processo de criação da tradução segundo a orientação teóricometodológica da Crítica Genética e do(s)Estudo(s) de Tradução. De um elenco de nove cenas, um apêndice e um glossário, apresenta-se o dossiê genético composto das cenas Um e Dois com descrição dos relatos da gênese tradutória, ateliê de tradução e apresentação da cronologia do processo de tradução. Os momentos genéticos apresentados neste estudo apontam para a identidade nigeriana ficcionalizada pelo texto de Wole Soyinka e retomada pelas tradutoras no texto traduzido da Opera Wonyosi.

Abstract: 

 
Opera Wonyosi (1977) of Wole Soyinka (1934 -), dramatic text (1981) written inEnglish and translated (2009-2010) for the Portuguese by PROSOM- research group ofthe Department of German studies at The Federal University Bahia, coordinated by Professor Silvia Maria Guerra Anástacio. The translated text is the basis for the screenplay of Dramatic Reading Opera da Malandragem presented in Martim Gonçalves Theater (out.2010) and for the audiobook Opera dos Espertos (2011). Theversions of the translation produced in digital format and retrieved from the translators ‘email boxes. The download of these digital documents enabled the monitoring of the process of creating the translation according to the theoretical-methodological and Genetic Criticism and Translating Studies. From a cast of nine scenes, a glossary and an appendix are presented in the genetic dossier the scenes One and Two with reports describing the genesis of translating, translation workshop and presentation of the chronology of the translation process. Genetic moments are presented in this study pointing out to the identity Nigerian fictionalized in Wole Soyinka’ s text and resumed by the translators in the translated text Opera Wonyosi.

Data: 
quinta-feira, 29 Março, 2012 - 14:00

Caminhos de uma tradução: recriando a atmosfera de mistério nos contos simbolistas Das Glück am Weg e Das Fremde Mädchen de Hugo Von Hofmannsthal

Nome do autor: 
Ingrid Maria Santos da Silva
Nome do orientador: 
Jael Glauce da Fonseca
Banca: 
Jael Glauce da Fonseca Mário Augusto da Silva Santos Elizabeth Santos Ramos
Resumo: 

A tradução tem sido abordada por estudiosos da contemporaneidade como uma atividade cuja natureza – em termos culturais- é variável. Sendo objeto de fronteiras imensuráveis, não havendo como definir o que é “inerentemente” tradutório, a tradução se estabelece em um campo de variados aspectos políticos, culturais e ideológicos, passando pelo filtro de subjetividade do sujeito mediador que a realiza, o tradutor. Dessa forma, este trabalho tem como objetivo a tradução dos contos Das fremde Mädchen e Das Glück am Weg, de Hugo von Hofmannsthal, e a análise dessa tradução, por meio do relato de algumas escolhas tradutórias que fizemos, tendo em vista a afirmação, o resgate e a recriação, da atmosfera de mistério presente nos contos simbolistas em questão. Adotando considerações feitas por Jacques Derrida (1973), no âmbito do desconstrutivismo, propomos aqui uma abordagem do texto de forma a expor não apenas os seus elementos estruturais, mas, principalmente, enfatizando o papel do sujeito tradutor, que ao abolir a existência de significados fixos no texto e ao realizar uma das leituras possíveis daquela obra, opera uma espécie de desmonte através da sua interpretação, das suas escolhas. Assim, cabe aqui, portanto, estabelecer o elemento misterioso como vínculo observável entre a tradução e o texto “original”, e demonstrar a nossa tradução como processo de ressignificação do texto “original”, através da recriação desse mistério.

Abstract: 

 
Translation has been studied by scholars as an activity whose nature – in terms of culture – is variable. Due to the fact that it is an object of immeasurable boundaries, making it hard to define what the “inherently” translational is, translation is established in a diverse range of political, cultural and ideological aspects, and yet, undergoing the filter of subjectivity of the individual mediator who performs the procedure, the translator. Thus, this work aims to translate the short stories Das fremde Mädchen and Das Glück am Weg, by Hugo von Hofmannsthal, and to analyze those translations by reporting some of the choices we made in order to enhance, regain and recreate the atmosphere of mystery in the symbolist short stories mentioned. By adopting notions formulated by Jacques Derrida (1973) about the deconstructivism, we propose an approach to the text that exposes not only its structural elements, but mainly, emphasizes the role of the individual translator that, by abolishing the existence of fixed meanings in the text and by performing one of the possible interpretations for that work, operates a sort of disassemble through their interpretation, through their choices. Ergo, it is pertinent to establish the mysterious element as an observable bond between the translation and the source text and to show our translation as a process of resignification, through the recreation of this mystery.

Data: 
terça-feira, 20 Março, 2012 - 14:00

O processo de criação de O Banco do Brasil, de Euclides Neto

Nome do autor: 
Marcelo Pereira Custódio
Nome do orientador: 
Sílvia Maria Guerra Anastácio
Banca: 
Sílvia Maria Guerra Anastácio Maria Da Conceição Reis Teixeira Rosa Borges dos Santos
Resumo: 

Esta pesquisa de mestrado tem como objetivo investigar o processo de criação do manuscrito autógrafo, com mais de uma versão, do texto "O Banco do Brasil" da obra O menino traquino: crônicas políticas e crônicas leves, publicada em 1994, do autor Euclides Neto. Justifica-se por se tratar de uma obra narrada numa região cacaueira, que teve um papel importante na vida econômica daquele espaço regional e da Bahia. Buscou-se estudar o processo de criação da obra a fim de buscar esclarecer porque o autor fez determinadas escolhas na feitura de seu texto, que carrega informações preciosas sobre fatos históricos, econômicos e sociais daquela época; assim, dar-se-á a oportunidade do leitor de interpretar e analisar a época descrita pelo autor. A metodologia aplicada é a proposta pela Crítica Genética e, segundo a teórica Almuth Grésillon (2007), o pesquisador deve: reunir, classificar, decifrar, transcrever e editar dossiês manuscritos para que se possa traçar o caminho da escritura de um texto. Essas etapas apresentam características diferentes em cada caso, conforme o estado em que se encontra cada manuscrito. Este trabalho abrirá espaço para que novas pesquisas com o acervo do autor sejam desenvolvidas.

Abstract: 

 

This master´s dissertation aims to investigate the creative process of autograph manuscript in more than one version of the text O Banco do Brasil in O menino traquino: crônicas políticas e crônicas leves, Euclides Neto´s masterpiece, published in 1994. This research is justified by analyzing a text, narrated in a cocoa region, and that portrays the economic lives of people from that region, at its economic peak. This work has focused on the creative process of such a text so as to clarify the possible reasons why the author made certain choices when writing it. Then, this analysis will shed light to precious pieces of information along socio-economic and historical facts of that time. The methodology is the one proposed by Genetic Criticism and, according to the theorist Almuth Grésillon (2007), the researcher has to follow working steps, such as: collect, classify, decipher, transcript and edit manuscripts so as to try to trace the creative pathway of a text. Finally, this work can generate future dissertations starting from the analysis of Euclides Neto´s dossier. 

 

Data: 
terça-feira, 20 Março, 2012 - 14:00

Edição do texto e estudo da linguagem proibida em Malandragem Made in Bahia, de Antonio Cerqueira

Nome do autor: 
Williane Silva Coroa
Nome do orientador: 
Rosa Borges dos Santos
Banca: 
Rosa Borges dos Santos Rita de Cássia Ribeiro Leite Célia Marques Telles
Resumo: 

Explora-se o tema Teatro e Censura para a qual se propõe a edição e a leitura da linguagem proibida no texto teatral censurado Malandragem Made in Bahia, de Antonio Cerqueira. Aborda-se a dramaturgia de Antonio Cerqueira, com destaque para a sua produção e papéis assumidos pelo dramaturgo, ao longo da carreira, além do arquivo por este organizado. Examina-se a relação do referido autor com a censura, e, por conseguinte, o processo censório do texto selecionado. No terreno da Filologia, valendo-se dos procedimentos metodológicos da Crítica Textual e da Sociologia do texto, pretende-se editar o texto, de modo a dar a ler uma das versões deste, investigando seus usos, promovendo uma leitura dos cortes efetuados pelo serviço de censura a qual o texto foi submetido. Partindo-se dos cortes efetuados, define-se a linguagem proibida, evidenciando o que pode ou não ser dito em determinado contexto. Oferece-se com este trabalho uma modesta contribuição para as pesquisas desenvolvidas no terreno da Crítica Textual.

Data: 
sexta-feira, 16 Março, 2012 - 14:00

Da trama do arquivo à trama detetivesca de Irani ou As interrogações, de Ariovaldo Matos: Leitura filológica do arquivo e edição do texto

Nome do autor: 
Mabel Meira Mota
Nome do orientador: 
Rosa Borges dos Santos
Banca: 
Rosa Borges dos Santos Maria da Conceicao Reis Teixeira Célia Marques Telles
Resumo: 

No campo da Filologia, conciliando as práticas da Arquivística Literária e da Crítica Textual, desenvolveu-se a investigação sobre Ariovaldo Matos e sua obra. Fez-se um inventário dos materiais que constituíam o Arquivo Pessoal de Ariovaldo Matos (APAM), realizando uma leitura crítica desse Arquivo, com destaque para sua produção dramatúrgica, e, em especial, para Irani ou As Interrogações, obra que tem como pano de fundo o cenário artístico baiano, reconstruído através de uma trama detetivesca, recortada para edição. Partiu-se do inventário do arquivo do autor (APAM), cujas fontes materiais fornecem elementos que possibilitam reconstituir a trajetória pessoal, profissional e literária do escritor, além de dar conta dos processos de produção, transmissão e recepção de sua obra. Irani ou As Interrogações foi submetida ao método filológico, resultando em uma edição apresentada, em suporte papel e eletrônico, a partir de duas categorias: uma edição fac-similar, em que se apresentam o texto escrito por Ariovaldo Matos e o texto adaptado por Eduardo Cabús; e uma edição interpretativa, que estabelece o texto crítico, acompanhado de aparato de notas. Por meio do trabalho realizado, foi possível oferecer à sociedade, sobretudo baiana, acesso às informações sobre as produções, literária e dramatúrgica, de Ariovaldo Matos.

Data: 
sexta-feira, 9 Março, 2012 - 14:00

Uma festa para Boris: tragicidade no teatro de Thomas Bernhard

Nome do autor: 
Moisés Oliveira Alves
Nome do orientador: 
Marlene Holzhausen
Banca: 
Marlene Holzhausen (UFBA) Cleise Furtado Mendes (PPGAC/UFBA) Cássia Dolores Costa Lopes (UFBA)
Resumo: 

Esboço teórico dos primeiros filósofos do trágico. A filosofia do trágico como um desejo da modernidade. A teoria do drama e sua geopolítica a partir de Hegel, Schelling e Goethe. O lugar do trágico na dramaturgia contemporânea e seus operadores de leitura. Schiller e Camus: estudo das diferenças entre o herói e o homem. Estudos sobre os sistemas de interpretação baseados nos pressupostos da teoria literária e psicanálise: Freud e Rosset. Os males do corpo e seus entrecruzamentos na ficção literária. O drama e seu encontro com outros pólos discursivos. Textos literários da filosofia e discussões filosóficas nos textos dramáticos, a partir de Nietzsche e Bernhard. Pressupostos teóricos sobre a força de atração do trágico na dramaturgia bernhardiana. Análise da peça Uma festa para Boris. O silêncio e a imobilidade como signos trágicos. A leitura teórica do universo dramático de Bernhard através da poética do herói moribundo. A rede afetiva de Bernhard e Beckett: dramaturgias do escombro, das miudezas e da escassez. Os desertos subjetivos das personagens como a realização de uma tragicidade. Os sistemas teóricos da modernidade e suas estratégias de criação.

Abstract: 

 
Theoretical outline of the first philosophers of tragic. The philosophy of tragedy as a desire of modernity. The theory of drama and its geopolitics from Hegel, Schelling and Goethe. The place of tragic in contemporary dramaturgy and its operators of reading. Schiller and Camus: study of the differences between the hero and the man. Studies on the interpretation systems based on assumptions of literary theory and psychoanalysis: Freud and Rosset. The evils of the body and their relation to the literary fiction. The drama and his meeting with other discursive points. Literary texts of philosophy and philosophical discussions in dramatic texts, from Nietzsche and Bernhard. Theoretical assumptions on the force of attraction of the tragic in Bernhard´s dramaturgy. Analysis of the paly A party for Boris. The silence and the stillness as tragic signs. The affective network of Bernhard and Beckett. The subjective deserts as characters in a tragedy. Theoretical systems of modernity and its strategies of creation.

Data: 
sexta-feira, 9 Março, 2012 - 14:00

Da ironia como crítica social nas obras de Bernardo Santareno e Nelson Rodrigues

Nome do autor: 
Solange Santos Santana
Nome do orientador: 
Márcio Ricardo Coelho Muniz
Banca: 
Márcio Ricardo Coelho Muniz (UFBA) André Luis Gomes (UnB) Luciene Lages Silva (UFBA)
Resumo: 

Esta dissertação guia-se pelo objetivo de se estudar, em perspectiva comparatista, a ironia nas obras dos dramaturgos Bernardo Santareno e Nelson Rodrigues. Busca-se demonstrar em que medida esta estratégia se manifesta em seus textos dramáticos e quais os elementos que a constituem como um princípio estruturador de suas obras, para, assim, poder analisar o diálogo existente entre suas criações dramáticas. Para tanto, parte-se do pressuposto de que a ironia é tanto um elemento estruturante dos textos quanto um modo (literário, retórico, discursivo e ideológico) de representação da realidade, que se configura com a apresentação dramática ativa de como cada autor observa as relações sociais, dá vida às personagens e discute seu mundo. Nesse sentido, optamos por selecionar um corpus de análise que abrange o mesmo período histórico, com temáticas que se aproximam: A Promessa (1957) e O pecado de João Agonia (1961), de Santareno, e Perdoa-me por me traíres (1957) e O beijo no asfalto (1961), de Rodrigues, sem deixar, entretanto, de, com maior ou menor destaque, aludir a outros textos destes dramaturgos. Tomamos como principal instrumental de leitura e análise a concepção de ironia tal qual expressa por Linda Hutcheon (2000), considerando que os textos ilustram um modo de excelência de utilização da ironia como arma de denúncia e desvelamento social. Ademais, buscaram-se subsídios na correlação estabelecida por Beth Brait (2008) entre ironia e polifonia, entre outros teóricos que trataram do tema e nos ajudaram a melhor entender os textos dramáticos em foco. Ao fazer a análise comparativa entre as obras de Bernardo Santareno e Nelson Rodrigues, percebeu-se que os dramaturgos recorrem à ironia para discutir o estilhaçamento das relações sociais, culturais e ideológicas. A ironia surge em suas atitudes avaliadoras, em seus pontos de vista críticos e provocadores como parte de um processo comunicativo discursivo e literário. Ao conceberem a dramaturgia como instrumento questionador da ordem vigente, dos códigos de conduta e das estratégias repressivas, os dramaturgos se aproximam, essencialmente, porque possibilitam a tomada de consciência face às realidades sócio-históricas.

Abstract: 

 
The purpose of this dissertation is to study through comparative perspective, the irony within the works of playwrights Bernard Santareno and Nelson Rodrigues. It aims to display the extent to which this strategy is manifested in their dramatic texts and which are the elements that define such strategy as a structuring principle of their works. In this manner, we’ll be able to analyze the noticeable dialogue which takes place between their dramatic creations. To do so, we take into account the assumption that the irony is a structural element of the texts as well as a way (literary, rhetorical, discursive and ideological) of reality representation, which shapes itself with the active dramatic presentation of how each author perceives social relationships, gives life to the characters and discuss his world. Thus, we chose to select a corpus of analysis which covers the same historical period, and approach topics that relate to each other: A Promessa (1957) and O pecado de João Agonia (1961), by Santareno, and Perdoa-me por me traíres (1957) and O beijo no asfalto by Rodrigues, while, with greater or lesser emphasis, we allude to other texts of these playwrights. We take as the main reading and instrument of analysis the concept of irony expressed by Linda Hutcheon (2000), considering that the texts brilliantly illustrate the use of irony as a weapon of social denouncement and disclosure. Following, we sought to find support on the correlation between irony and polyphony established by Beth Brait (2008), and other theorists who dealt with the present issue and helped us to better understand the dramatic texts in focus. While making the comparison between the works of Bernard Santareno and Nelson Rodrigues, it was noticed that the playwrights turn to irony when discussing the shattering of social, cultural and ideological relationships. The irony emerges in their evaluative attitudes, and their critical and challenging point of views as part of a literary and discursive communicative process. When they conceive dramaturgy as an inquiring tool of the order in vigor, which questions codes of behavior and repressive strategies, playwrights come closer to each other, essentially because they make possible the awakening of awareness in the face of historical and social facts.

Data: 
terça-feira, 6 Março, 2012 - 22:00

Aprender a nada-r e Anatomia das feras, de Nivalda Costa: Processo de construção dos textos e edição

Nome do autor: 
Débora de Souza
Nome do orientador: 
Rosa Borges dos Santos
Banca: 
Rosa Borges dos Santos Raimundo Matos de Leão Célia Marques Telles
Resumo: 

No contexto social e histórico da ditadura militar, na Bahia, textos teatrais eram submetidos aos órgãos censórios, sendo avaliados por diferentes técnicos. No presente trabalho, propõe-se analisar o processo de construção dos textos teatrais censurados Aprender a nada-r e Anatomia das feras, de Nivalda Silva Costa, e editá-los. No campo dos estudos filológicos, conforme orientação das teorias de edição, que tomam os textos em perspectiva material e social, buscou-se apoio em outras ferramentas teóricas e metodológicas, sobretudo de crítica textual e de crítica genética, com o intuito de compreender o texto em seu processo de produção e de transmissão, levando-se em consideração a ação dos agentes mediadores, a dramaturga/diretora, o datilógrafo, os censores. Apresenta-se a edição dos textos selecionados em suporte papel e eletrônico. Justifica-se a realização desse trabalho pela possibilidade de oferecer à comunidade científica importante contribuição no que tange à prática editorial, oferecendo uma leitura de determinada escrita para o palco elaborada por uma mulher negra engajada com questões políticas, sociais e estéticas, permitindo-se pensar sobre a prática censória e sua consequência para produções teatrais baianas, bem como sobre a edição de textos teatrais.

Abstract: 

 
In the social and historical context of the military dictatorship in Bahia, theatrical text were submitted to censorship and analyzed by a group of people of different fields. This work aim to analyze the creating process of the censored theatrical texts, Aprender a nada-r and Anatomia das feras by Nivalda Silva Costa, and edit. Under editing theories, the field of philology that observes the texts through a social and material perspective, took into consideration other theoretical and methodological tools - textual criticism and genetic criticism - so as to try to understand the text through its creating process and transmission considering: mediator´s action, the playwright/director, the typist and the censors. It is introduced the selected texts under electronic and paper support. This work is justified by the possibility of offering an important contribution of editorial practice to the scientific community. It also offers a certain reading perspective focused on the stage by a black woman whose work approches socio-political and esthetic issues allowing to reflect on censorship and its consequences of thetrical production of Bahia as well as edition of theatrical texts.

Data: 
terça-feira, 6 Março, 2012 - 14:00

Páginas