Dissertações

Format: 2018

Kaos: Da Literatura Para o Cinema: a novela "O outro Filho" de Luigi Pirandello na obra fílmica homônima dos irmãos Taviani

Nome do autor: 
EDUARDO DOS ANJOS MAIA DIAS
Nome do orientador: 
MAURO PORRU
Banca: 
MAURO PORRU SILVIA LA REGINA PEDRO JORGE PINTO DE CASTRO
Resumo: 

Trata-se de uma dissertação de mestrado inerente à linha de pesquisa “Estudos de tradução cultural e intersemiótica”, que visa verificar a relação que existe entre a sétima arte e a Literatura, a partir da adaptação para o cinema, efetuada pelos irmãos Taviani, do conto “O outro filho” do aclamado escritor e dramaturgo italiano Luigi Pirandello. A pesquisa procura reconhecer, ao longo de seu processo investigativo, as estratégias que asseguram a transmutação do texto literário pirandelliano no texto fílmico homônimo dos irmãos Taviani, no intuito de compreender de que maneira a novela “O Outro Filho” do escritor siciliano permeia a obra dos cineastas toscanos e como ela é recriada na narrativa cinematográfica desses artistas. Para tanto, o aparato discursivo e criativo de Pirandello foi examinado desde os textos teóricos, como ensaios e artigos, aos textos literários como novelas, romances, poesias e dramaturgia, incluindo ainda trabalhos artísticos como cinema e peças teatrais. A produção cinematográfica dos Irmãos Taviani, foi analisada em suas mais diversas formas de expressão para verificar a dinamica da adaptação da literatura para o cinema e as principais modificações advindas da passagem do texto literário para o texto fílmico.

Luigi Pirandello; literatura; tradução intersemiótica; semiologia, Paolo e Vittorio Taviani; cinema.

 

Abstract: 
It is about a Master’s dissertation inherent with the line of research “Studies of cultural translation and inter-semiotic”, which aims to verify the relationship between the seventh art and the literature from the adaptation of the film by the Taviani brothers, from the tale “The Other Son” by acclaimed writer and Italian dramaturge Luigi Pirandello. The research seeks to recognize, during the period of its investigative process, the strategies that ensure the transmutation of the Pirandellian literary text in the filmic text homonym of the Taviani brothers, in order to comprehend the way in which the novel “The Other Son” by the Sicilian writer permeates the work of the Tuscan filmmakers and how it is recreated in the film’s narrative of these artists. Thus, Pirandello’s discursive and creative apparatus was examined from theoretical texts such as novels, romances, poetry and dramaturgy, even including artwork like cinema and plays. The Taviani brothers’ cinematic production was analyzed in its various forms of expression to verify the dynamics of the adaptation of the literature for the cinema as the most important modifications arising from the passage of the literary text to film text.
Luigi Pirandello; literature; intersemiotic translation; semiology, Paolo and Vittorio Taviani; cinema.

 

Data: 
sexta-feira, 8 Agosto, 2014 - 17:30

Mariaagélas: A Configuração da Memória Coletiva Acadiana

Nome do autor: 
VALERIE DE CASTRO MACHAT
Nome do orientador: 
SERGIO BARBOSA DE CERQUEDA
Banca: 
SERGIO BARBOSA DE CERQUEDA ANA ROSA NEVES RAMOS LICIA SOARES DE SOUZA
Resumo: 

A presente dissertação objetiva analisar como o processo de construção da memória coletiva acadiana se dá no romance Mariaagélas (1973) de Antonine Maillet, e de que maneira a narrativa pode ser lida como uma representante da coletividade acadiana, focalizando, sobretudo, em questões atinentes aos conceitos de memória, identidade e diáspora. Embora se constituam em uma nação sem território unificado, os acadianos afirmam-se cada vez mais como um povo com identidade própria, através da sua história e da sua cultura. A literatura acadiana desempenha um papel fundamental ao contar e dizer o povo acadiano, projetando-o para o mundo e perpetuando a sua memória coletiva, sobretudo, desde a “Grande Desordem”, que se estendeu de 1749 a 1764, quando sofreram a dispersão geográfica e humana. A literatura produzida pelos autores acadianos servirá, assim, como um dos espaços em que essa coletividade procurará se afirmar e discutir a sua identidade diaspórica. Dentre os escritores que surgiram no cenário literário da Acádia, destaca-se a escritora Antonine Maillet pelo trabalho de resgate da memória da coletividade e da afirmação de seu caráter identitário particular. O romance Mariaagélas (1973),da sua autoria, opera com a configuração da memória e da identidade da coletividade acadiana enquanto coletividade minoritária diaspórica.

Acádia, literatura, memória, identidade, diáspora.

 

Abstract: 
Cette recherche de Maîtrise a pour but d’analyser comment le processus de construction de la mémoire collective acadienne se produit dans le roman Mariaagélas (1973) d’Antonine Maillet et de voir dans quelle mesure la narration peut être représentative de la collectivité acadienne, se focalisant surtout sur les questions de mémoire, identité et diaspora. Bien que les Acadiens constituent une nation sans territoire unifié, ils s’affirment de plus en plus comme peuple avec une identité propre, par leur histoire et leur culture. La littérature acadienne joue là un rôle fondamental en cela qu’elle raconte et dit le peuple acadien, en le projetant vers le monde et en perpétuant sa mémoire collective, surtout depuis le « Grand Dérangement », qui a duré de 1749 à 1764, quand les Acadiens ont subi leur dispersion géographique et humaine. La littérature produite par les auteurs acadiens servira alors comme un des espaces où la collectivité cherchera à s’affirmer et à discuter son identité diasporique. Parmi les écrivains qui surgirent sur la scène littéraire de l’Acadie, se distingue Antonine Maillet par son oeuvre de sauvegarde de la mémoire de la collectivité et de l’affirmation de son caractère identitaire particulier. Son roman Mariaagélas (1973) opère au niveau de la configuration de la mémoire et de l’identité de la collectivité acadienne en tant que collectivité minoritaire diasporique.
Acadie, littérature, mémoire, identité, diaspora.

 

Data: 
sexta-feira, 1 Agosto, 2014 - 16:30

Um Estudo Crítico-Sociológico Sobre os Bastidores Editoriais de Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá, de Lima Barreto

Nome do autor: 
RODRIGO LIMA MACIEL
Nome do orientador: 
SILVIA LA REGINA
Banca: 
MAURO PORRU Docente LIVIA MARIA NATALIA DE SOUZA SANTOS ARIVALDO SACRAMENTO DE SOUZA
Resumo: 

Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá, romance de Lima Barreto, de modo memorialista, apresenta-nos as reflexões e as considerações do velho sexagenário, crítico e pessimista Gonzaga de Sá a respeito, mais acentuadamente, das transformações político-sociais oriundas da República no Brasil e dos padrões culturais hipócritas da burguesia carioca. Esse livro, escrito entre 1907 e 1908, foi publicado por Monteiro Lobato em 1919 em sua editora Revista do Brasil. Os diálogos e as intervenções editoriais e publicitárias em torno do livro podem ser registrados a partir das 42 cartas trocadas entre o escritor e editor. Essas cartas, os originais do romance e outros documentos foram, aqui, utilizados de Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá. Nessa perspectiva, buscamos construir em estudo crítico e sociológico, registrando e analisando: as intervenções e as escolhas no processo de mediação editorial, a participação dos diferentes atores envolvidos com a cena editorial, as condições de produção, as expectativas culturais, as estratégias de publicação e de distribuição, bem como a recepção e a fortuna crítica a respeito do romance. Essas análises permitiram-nos compreender que se, para Monteiro Lobato, o Gonzaga de Sá foi um fracasso editorial e mercadológico, para Lima Barreto, não houve fracasso, pelo contrário, o Gonzaga de Sá conferiu-lhe muitos elogios da crítica, uma menção honrosa da Academia Brasileira de Letras, além de um excelente lucro com o pagamento pela edição. Assim, para realizar essa investigação, tivemos como referências texto-metodológicas: a tradição filológica, cuja práxis considera o estudo do processo textual; os pressupostos da Sociologia do texto, de Jerome McGann e de Don Francis Mckenzie, os quais dão ênfase aos processos de produção, circulação e recepção do texto na esfera social; bem como as articulações de Roger Chartier quanto à mediação cultural e editorial.

Lima Barreto. Vida e Morte de M.J Gonzaga de Sá. Filologia. Crítica Textual. Sociologia do texto.

 

Abstract: 

Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá, Lima Barreto's novel, in form of memorois, exposes the critical and pessimistic reflections of a man in his sixties, Gonzaga de Sá, about social and political transformations caused by formation of Brazilian Republic and hypocritical cultural patterns of Rio's bourgeoisie. This book, written between 1907 and 1908, was published by Monteiro Lobato's Revista do brasil in 1919. Dialogues and editoral interventions in the book can be traced from 42 letters between author and editor. These letters novel's original writings and other documents were read in order to understand in which cultural, literary and editorial conditions Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá was published. In this perspective, we intended to develop a critical and sociological study, recording and analysing: interventions and choices during the editorial mediation process, participation of different actors involved with editorial scenery, prodution circumstances, cultural expectations, publishing and distribution strategies, as well as reception and critical fortune about the novel. These analyses allowed us to understand tha if, on the one hand, for Monteiro Lobato, Gonzaga de Sá was an editoral and marketing failure, on the other hand, for Lima Barreto, the novel resulted in critical praises and honorable mention award at Academia Brasileira de Letras. Therefore, in order of proceed for this research, the theoretical-methodological references are: philological tradition, that covers the study of textual process; Jerome McGann and Don Francis McKenzie's Sociology of texts, which emphasizes prodution, circulation and reception processes; and Roger Chartier's purposes about cultural and editorial mediation.

Lima Barreto. Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá. Philology. Textual Criticism. Sociology of Text.

 

Data: 
segunda-feira, 28 Julho, 2014 - 14:15

A Tradução do Sujeito Pós-colonial em A Small Place de Jamaica Kincaid

Nome do autor: 
ALICE MARIA ALMEIDA PINHEIRO DOS SANTOS
Nome do orientador: 
ELIZABETH SANTOS RAMOS
Banca: 
ELIZABETH SANTOS RAMOS DOMINGOS SAVIO PIMENTEL SIQUEIRA DENISE CARRASCOSA FRANCA
Resumo: 

O ensaio A Small Place (1998) busca levar ao mundo as reflexões da autora Jamaica Kincaid sobre o processo de colonização que se estendeu ao século XX. Como ex-colonizada, opta por escrever em inglês, e como nem todos falam a língua, surgiu a necessidade da tradução, para que a denúncia cumpra o seu objetivo. Como o ensaio A Small Place é construído através de um discurso irônico e, muitas vezes, sarcástico, a tradução do ensaio foi realizada dentro do princípio da pluralidade de significados que os textos carregam, levando em consideração o tempo, o espaço e as culturas em questão, (des)limitando o literal e o figurado, a fim de produzir um texto irônico na língua portuguesa, mas destituído do jocoso e do cômico.Tomando como base os estudos de tradução e de literatura, o referido trabalho foi fundamentado nas teorias pós-estruturalistas e pós-coloniais ao analisar as marcas da ironia como veículo da construção da ira do sujeito colonizado contra o colonizador no ensaio A Small Place (1988) de Jamaica Kincaid.

Tradução. Discurso irônico. Teorias pós- estruturalistas. Teorias póscoloniais.

 

Abstract: 
The essay A Small Place (1998) aims to show the world Jamaica Kincaid´s reflections on the process of colonization that lasted into the twentieth century. As a former colonized, Kincaid chooses to write in English, nevertheless, as not everyone speaks English, it´s necessary to translate, so that the denunciation enforces its purpose. As the essay A Small Place is constructed through an ironic discourse, sometimes sarcastic, the translation was done under the principle of plurality of meanings that texts carry, considering time, space and the cultures involved, (de)limiting the literal and figurative, in order to produce an ironic text in Portuguese devoid of comic and jocose aspects. Based on translations and literature studies, this work was grounded in the post-structuralist and post-colonialist theories to analyze the marks of irony as a vehicle of the construction of the colonized´s anger against the colonizer in the essay A Small Place (1988) Jamaica Kincaid.
Translation. Ironic discourse. Post-structuralist theory. Post-colonialist theory.

 

Data: 
segunda-feira, 28 Julho, 2014 - 14:00

POÉTICA E RELIGIOSIDADE NEGRAS/AFROBRASILEIRAS EM CADERNOS NEGROS: FLUXOS IDENTITÁRIOS NAS ENCRUZILHADAS

Nome do autor: 
MARCIO DE ALMEIDA ARAUJO
Nome do orientador: 
FLORENTINA DA SILVA SOUZA
Banca: 
FLORENTINA DA SILVA SOUZA MARCELO NASCIMENTO BERNARDO DA CUNHA JOSE HENRIQUE DE FREITAS SANTOS
Resumo: 

O presente trabalho tem como objetivo analisar expressões identitárias negras/afrobrasileiras, pelo viés da religiosidade, em poemas selecionados das edições dos Cadernos Negros, inseridas no espaço de tempo entre 1988 a 2008. Ao todo, são onze volumes que concentram uma quantidade vasta de poemas em que os/as poetas ressaltam a importância de valores fundamentais, como a concepção do sagrado, a relação com o cosmos, com a natureza e a relação com o princípio da ancestralidade, para a constituição das identidades no país. Devido à dinâmica singular que essas identidades vêm manifestando nos textos literários contemporâneos, decidiu-se analisálas por meio do paradigma das encruzilhadas, pois o método conceitual dominante não dá conta de representar as características multiculturais contidas nelas.

Literatura, poesia, identidade negra, religiosidade, Cadernos Negros.

 

Abstract: 
The present work aims to analyze black and Afro-Brazilian identity expressions through the lens of religiosity, in selected poems extracted from the publication Black Notebooks, within the 1988 to 2008 timeframe. There are eleven volumes that encompass a vast amount of poems in which both poets and poetess underscore the importance of core values, such as the concept of the sacred, the relationship with the cosmos and nature, as well as the principle of ancestry vis-à-vis the constitution of identities in the country. Due to the unique dynamics that these identities manifest in contemporary literary texts, the analysis focuses on the paradigm of the crossroads, since the dominant conceptual method is unable to represent the multicultural features contained in these identities.
literature, poetry, black identity, religiosity, Black Notebooks

 

Data: 
sexta-feira, 25 Julho, 2014 - 14:30

POÉTICA DA RECORRÊNCIA: POESIA, MEMÓRIA E PLASTICIDADE EM FERREIRA GULLAR

Nome do autor: 
GABRIELA FERNANDES DE CARVALHO
Nome do orientador: 
SANDRO SANTOS ORNELLAS
Banca: 
SANDRO SANTOS ORNELLAS LUCIENE ALMEIDA DE AZEVEDO GUSTAVO SILVEIRA RIBEIRO
Resumo: 

Pretende-se fazer uma leitura crítica da poesia de Ferreira Gullar, desde A luta corporal (1954), considerado o primeiro livro de sua carreira, até o Em alguma parte alguma (2010). Levaremos em conta alguns aspectos de sua escrita que apontam para um estilo poético que faz uso de traços de memória, através de temas e imagens recorrentes. Além de destacarmos o uso de elementos do campo das artes plásticas na composição dos poemas, aproximando assim, à função do poeta, a experiência do crítico de arte – atividade também desempenhada por Gullar. Transitando sempre entre uma ou outra possibilidade de ser, entre o universal e o particular, entre o poeta e o homem comum, Ferreira Gullar, poeta maranhense, tem uma notória participação na literatura brasileira com publicações significativas tanto no terreno da poesia quanto no da crítica de artes plásticas, desde a década de 50. Interessa-nos, aqui, compreender a poesia de Ferreira Gullar a partir da leitura crítica de seus poemas e de seu discurso poético, destacando os elementos que compõem uma poética de recorrência.

Ferreira Gullar. Poesia. Recorrência.

 

Abstract: 
We intend to do a critical reading of Ferreira Gullar’s poetry, starting from A luta corporal (1954), considered to be his first book, to Em alguma parte alguma (2010). We will take into account some aspects of his writing that indicate a poetic style that uses traces of memory through recurring themes and images. In addition, we will highlight the use of elements of the visual arts field in the composition of poems, nearing the poet’s function to the experience of the art critic – activity also performed by Gullar. Always shifting between different possibilities of being, between the universal and the particular, between the poet and the common man, Ferreira Gullar, poet from Maranhão, has notorious participation in Brazilian literature with significant publications both in poetry and in the critical field of visual arts, since 1950. Here, we are interested in understand Ferreira Gullar’s poetry through the critical reading of his poems and his poetic discourse, emphasizing the elements that compose a poetry of recurrence.
Ferreira Gullar. Poetry. Recurrence.

 

Data: 
sexta-feira, 25 Julho, 2014 - 14:15

O PLUTARCO ESCRITOR – OU O CARÁTER LITERÁRIO DAS BIOI PARALLELLO

Nome do autor: 
RYSZARD DYGAS FILHO
Nome do orientador: 
LUCIENE LAGES SILVA
Banca: 
LUCIENE LAGES SILVA MARINA REGIS CAVICCHIOLI LIGIA GUIMARAES TELLES
Resumo: 

Plutarco de Queroneia (46-120) foi um prolífico polímata grego do período do Império Romano. Plutarco se destacou nos campos da Literatura, História, biografia, retórica e da filosofia. A obra de Plutarco teve o objetivo de preservar a cultura e a identidade gregas e promover esta cultura grega perante Roma, acentuando a helenização do povo romano. Este presente texto constitui uma experiência de crítica literária baseada, sobretudo, no método de Otto Maria Carpeaux associado com a crítica de Harold Bloom. Neste texto são estudados os elementos literários das duas principais biografias de Plutarco: Vida de Alexandre e Vida de Júlio César, além da atividade comparativa entre Plutarco, Homero e Platão.

Plutarco, Platão, Carpeaux, Harold Bloom, crítica literária.

 

Abstract: 
Plutarch of Queroneia was a prolific Greek polymath of the Roman Empire. The work of Plutarch excelled in the fields of Literature, History, biography, rhetoric and philosophy. The Plutarch‟s work aimed to preserve the Greek culture and Greek identity and promote this Greek culture in Rome, accentuating the Hellenization of the Roman elite. This present text is an experience of literary criticism based primarily on Otto Maria Carpeaux Method associated with the criticism of Harold Bloom. Here, have studied the literary elements of the two major biographies of Plutarch: Life of Alexander and Life of Julius Caesar, in addition to comparative activity among Plutarch, Homer and Plato.
Plutarch, Plato, Carpeaux, Harold Bloom, Literary Criticism.

 

Data: 
quinta-feira, 24 Julho, 2014 - 15:30

Luz e Trevas em Macbeth: duas traduções intersemióticas

Nome do autor: 
TATIANE OLIVEIRA PORTELLA
Nome do orientador: 
ELIZABETH SANTOS RAMOS
Banca: 
ELIZABETH SANTOS RAMOS SILVIA MARIA GUERRA ANASTACIO GUSTAVO RIBEIRO DA GAMA
Resumo: 

A presente dissertação tem como objetivo analisar a tradução/adaptação da tragédia Macbeth de William Shakespeare (1564-1616) para os filmes homônimos de Roman Polanski (1971) e de Peter Moffat (2005). A análise parte da compreensão dos aspectos literários e históricos, como a ideia de ordem e a doutrina dos Dois Corpos do Rei, bem como aspectos psicológicos e emocionais, questões de consciência e conflito para as releituras fílmicas, atentando para os traços de ressignificação e atualização da tragédia identificados nos textos cinematográficos. Levando em consideração reflexões de Robert Stam (1979) e a construção da taxonomia da transtextualidade de Gerárd Genette a dissertação explora o papel da rede intertextual no processo de tradução/adaptação, estabilizando e/ou desestabilizando estas relações. Buscou-se, desta maneira, não pautar a análise da tradução/adaptação em critérios de fidelidade, o que nos levaria a procurar traições ou distorções realizadas no texto de chegada, o filme, em relação ao texto de partida, a peça; mas, entender a forma como os filmes de Roman Polanski e Peter Moffat foram construídos. Acreditamos, desta maneira, haver contribuído de modo crítico para novas reflexões sobre a tradução/adaptação.

William Shakespeare, Macbeth, Cinema, Roman Polanski, Peter Moffat.

 

Abstract: 
This dissertation aims to analyze the process of translation / adaptation of the tragedy Macbeth by William Shakespeare (1564-1616) to the homonymous films by Roman Polanski (1971) and Peter Moffat (2005). The starting point of the analysis is the understanding the literary and historical aspects such as the idea of order and the doctrine of the Two Bodies of The King; also the psychological and emotional aspects, such as the power of awareness and conflict reframed in both films. The theoretical support is based on reflections of Robert Stam (1979) applied to cinematographic narratives and on the taxonomy of transtextuality by Gerárd Genette; both studies seek to understand intertextual relations in the process of translation/adaptation that stabilizes or destabilizes these relationships. We intend, therefore, not to outline the analysis of the translation/adaptation under consideration, taking into consideration criteria based on fidelity; such attitude would lead us to investigate betrayals or missdistortions made in the target text, the movie, when it is compared to the source text. We do seek to understand how Polanski’s and Moffat’s films were made by attempting to examine the adaptation process. We hope to have given a critical contribution to translation/adaptation studies.
William Shakespeare, Macbeth, cinema, Roman Polanski, Peter Moffat.

 

Data: 
quinta-feira, 24 Julho, 2014 - 14:30

Maré, nossa história de amor: uma tradução de Romeu e Julieta.

Nome do autor: 
ADELMO VIANA DOS SANTOS
Nome do orientador: 
ELIZABETH SANTOS RAMOS
Banca: 
ELIZABETH SANTOS RAMOS JORGE HERNAN YERRO JOSE HENRIQUE DE FREITAS SANTOS
Resumo: 

O presente trabalho tem como objetivo analisar a construção do filme Maré: nossa história de amor, da diretora Lúcia Murat, como ressignificação da peça Romeu e Julieta, de William Shakespeare. Observa-se através da análise entre as obras, que a peça foi deslocada para o contexto das favelas do Rio de Janeiro, no século XXI, apresentando questões que suscitam importantes reflexões e, simultaneamente, dialogam com a peça do dramaturgo inglês. Partindo de uma concepção pósestruturalista, o filme é analisado como tradução que, mantendo o vínculo com a anterioridade ressignifica a peça a partir da leitura e da interpretação da tradutora. Tomando por base a peça de Shakespeare, considerada como anterioridade da obra analisada, a pesquisa propôs-se observar os rastros e as transformações ocorridas no processo tradutório intersemiótico. Abordou-se, no que condiz aos rastros, a ocorrência da intertextualidade, ressaltando os estudos de teóricos da área de tradução. Ao apresentar um diálogo entre a peça e o filme, a pesquisa problematizou conceitos e perspectivas hierarquizantes e essencialistas que regem a relação comparativa entre as obras, abordando-as como textos autênticos e valiosos. Com o intuito de embasar a abordagem do filme como tradução, foram abordados conceitos como suplemento, rastros, desconstrução, que apresentam uma concepção desse campo de estudos como potência transformadora que contribui para a permanência das obras no tempo e permite ao público brasileiro contato com uma expressão artística que, no período elisabetano era bastante popular.

Maré, nossa história de amor; Tradução Intersemiótica; William Shakespeare; Lúcia Murat.

 

Abstract: 
The present work aims to analyse the making of Maré: nossa história de amor, directed by Lúcia Murat as a ressignification of the play Romeo and Juliet, written by William Shakespeare. From the analyses of these two works, we can see that the play was shifted to the context of the slums in Rio de Janeiro, in the 21st century, presenting aspects that promote important reflections and a dialogism with the play of the English playwriter. From a post-structuralist conception, the film is analysed as a translation that, while keeping the link with the previous work, resignifies the play based on the translator’s reading and interpretation of it. Based on Shakespeare’s play, considered the source text, we aimed to observe traces and changes that took place during the intersemiotic translation process. As related to the traces, we approached, the presence of intertextuality, highlighting the studies of different scholars from the translation field of studies. Presenting a dialogical perspective between the play and the film, we raised a debate about concepts and essencialist and hierarchizing perspectives that still try to guide the comparison between the works, approaching them as authentic and valuable texts. Trying to confirm translation’s value, concepts like suplement, traces, deconstruction were approached, that present a conception of translation as a transformational potence that contributes to the permanence of the works along time and give the Brazilian audience the chance to be exposed to an art, which was quite popular in the Elizabethan days.
Maré, nossa história de amor; Intersemiotic Translation; William Shakespeare; Lúcia Murat.

 

Data: 
terça-feira, 22 Julho, 2014 - 17:00

RÉQUIEM DAS ALMAS: RECONSTITUIÇÃO DE POSSIBILIDADES DISCURSIVAS SOBRE A PERFORMANCE DE ENCOMENDAR ALMAS NA CIDADE DE SANTANA- BA

Nome do autor: 
ANA LUISA DIAS LAURIA
Nome do orientador: 
ALVANITA ALMEIDA SANTOS
Banca: 
ALVANITA ALMEIDA SANTOS SUZANE LIMA COSTA SILVIO ROBERTO DOS SANTOS OLIVEIRA
Resumo: 

Réquiem das Almas: reconstituição de possibilidades discursivas sobre a performance de Encomendar Almas na cidade de Santana – Ba dedica-se à inventariação da performatividade intrínseca à Encomendação de Almas – ritual funerário dedicado àqueles que se encontram em desassossego post-mortem. Trata-se de uma prática penitencial em prol das almas em desamparo que, na cosmovisão da Cristandade ocidental, só encontram a misericórdia divina através da intervenção dos viventes que rogam pelo alívio de suas penas. Circunscrita à linha de pesquisa Documentos da Memória Cultural, a dissertação propõe que, para inventariar a cerimônia em questão (e, por conseguinte, as potencialidades interpretativas que nela se inscrevem), fez-se necessária (para além da construção dos aspectos descritivos) uma especial ênfase nos investimentos subjetivos dos sujeitos envolvidos, bem como na ficcionalidade que atravessa ambas as narrativas: a da Encomendação e a que aqui se apresenta. Nesse entendimento, a metodologia, em consonância com o caráter multidisciplinar adotado pela pesquisa, baseia-se no modelo etnográfico de observação participante cuja aplicabilidade resultou no cruzamento entre as histórias de vida (narrativas autobiográficas), o contexto sociocultural no qual as Encomendadeiras transitam e a inventariação do experimento poético por elas protagonizado. Diante do tabu contemporâneo que envolve o morrer, o qual aciona as mais diversas estruturas cerimoniais nas sociedades humanas, ocorre a problematização de como as Encomendadeiras se apropriam, simbolicamente, da morte e, ao fazê-lo, como a representam. A crítica interna que costura as significações alegóricas da voz no ato da Encomendação ancora-se nos estudos performáticos de Paul Zumthor e ocupa-se em identificar a dinamicidade do texto, haja vista que o mesmo é um sistema autorregulável que cria zonas de significação imediatas quando de sua narratividade. A ampliação da percepção da literatura – que não é produção escrita, tão somente, mas textualidade – explora modalidades outras do campo literário abrangendo as dimensões oral, acústica, visual, e, ao ponto que mais interessa, a comunhão de linguagens que orbita em torno da dimensão performática da Encomendação. De forma circular, o passado que antecedeu os gestos rituais estruturantes da Encomendação é permanentemente vivificado quando da execução da performance, através da qual o encantamento das palavras entoadas pelas vozes que reivindicam a misericórdia divina é capaz de redimir as almas de suas privações e estancar-lhes o sofrimento. A resolução e/ou compensação psíquica diante da irredutibilidade da morte apresenta-se como um dos principais contributos da rede de solidariedade tecida entre as Encomendadeiras e as almas.

Encomendação de Almas. Performance. Etnografia. Tabu da morte.

 

Abstract: 
Requiem of the Souls: A reconstitution of discursive possibilities on the Dispatching of Souls performance in the city of Santana – Ba aims to inventory the performativity intrinsic to the Dispatching of Souls - a funerary ritual dedicated to those souls in a state of unrest in the post-mortem. It is a penitential practice for the sake of the helpless souls which, according to the western Christendom general understanding, can only find divine mercy through the intervention of the living, who pray for the relief of their penance. Under the Documentos da Memória Cultural line of research, this work proposes that in order to inventory the ceremony at hand (and by doing so also its interpretive potentialities), a special emphasis (besides the construction of its descriptive aspects) was given to the subjective investments by the subjects involved, as well as to the fictionality that permeates both narratives: that of the dispatching of souls itself and the one herein contained. Grounded on this understanding, methodology - in accordance with the multidisciplinary character adopted in the research - is based upon the participant observation ethnographic model, its applicability having resulted in the crossover between life stories (autobiographical narratives), the sociocultural context whithin which those transit and the inventory of the poetic experiment carried out by them. Faced with the contemporary taboo enveloping death, which triggers many of the cerimonial structures in human societies, occurs the problematization regarding how the Soul Dispatchers symbolically appropriate death and, by doing so, how they choose to represent it. The internal critique that sews together the allegorical significations of the voice in the enactment of the dispatching is anchored in Paul Zumthor’s studies on performance and aims at identifying the text’s dynamicity, it being a self-regulatory system which creates immediate signification zones in its narrativity. The enlargement of perception in literature - considering not simply written text but textuality itself - explores different modalities of the literay field encompassing dimensions that are verbal, acoustic, visual and more importantly the communion of such languages orbiting the dispatching’s performatic dimension. In a circular way, the past predating the structuration of the dispatching’s ritual gestures is permanently vivified whenever those are performed and through them the enchantment of the words uttered by voices that claim for divine mercy has the ability to move the souls away from their deprivation and to stanch their suffering. Closure and/or psychological compensation in the face of death’s irreductibility presents itself as one of the main contributions of the solidarity network woven between the Dispatchers and the souls.
Dispatching of Souls. Performance. Ethnography. Death taboo.

 

Data: 
segunda-feira, 21 Julho, 2014 - 16:30

Páginas